Edgard Pereira, Scripta, n.º 19, Pontífica Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte (Brasil), 2006.
Print

Em seu recente Os Dias de Veneza, Eduardo Pitta dá a lume as anotações alusivas a cinco dias passados na cidade dos canais e vaporettos. O resultado ultrapassa o eventual registo de impressões de um viajante culto [...] em sua aparente simplicidade, Eduardo Pitta apresenta um dinâmico e refinado discurso sobre aspectos históricos, arquitectónicos, culturais e gastronómicos de Veneza, produzido ao sabor do contacto e da breve permanência na cidade, acrescido de notas climáticas e de irónicos comentários a respeito da voracidade turística ou da fatuidade das relações humanas. [...] A ordenação textual [...] distancia-se das narrativas íntimas, propícias ao exercício da sondagem introspectiva [...] Se o diário não tem uma técnica peculiar, prestando-se a uma diversidade de enfoques, da crónica à poesia, do ensaio ao relato, sob a chancela de Eduardo Pitta mostra-se erudito, ágil, elegante. A literatura em língua portuguesa alcançaria um significativo legado, caso o autor, intelectual polivalente, articulado em inúmeras esferas do saber, a ele se dedicasse em novos projectos.