José Emílio-Nelson, Jornal de Notícias, Porto, 1991.
Print

Não me lembro, entre os últimos contemporâneos, de outro poeta que consiga recriar a experiência da sua sexualidade com esta alegre ironia, sem teorizações de catálogo filosófico.