Linda Santos Costa, rev. (livros), n.º 20, Lisboa, 2001.
Print

Isto a propósito da primeira ficção do poeta e ensaísta Eduardo Pitta, que aparece, no espaço de produção literária portuguesa, como diferente e ousada [...] Diferente porque homossexual. E a narrativa da vivência homossexual institui-se como marca de diferença, não só para dar voz a experiências em termos que são novidade na ficção portuguesa (na poesia, é diferente), como também pelo risco dos factos narrados serem lidos como autobiográficos [...] É a esta luz que se pode entender o título do livro, Persona [...] Os contos constituem-se como uma espécie de romance de formação que se detém em momentos significativos do percurso da vida de Afonso e o confronto com as instituições (a Escola, o Exército) ou a vivência da libertação que o espaço do deserto promove face à opressão totalitária do apartheid [...] Um Requiem sem nostalgia.